Centro Educacional Xodó da Tia Joyce

Jogos

Jogos

Clique e divirta-se

Brinque com seus amigos os melhores jogos online.

Trabalhe Conosco

Trabalhe Conosco

Preencha e formulário e aguarde uma oportunidade

Clique aqui

O Xodó

CONCEPÇÕES FILOSÓFICAS DO

CENTRO EDUCACIONAL XODÓ DA TIA JOYCE


          O Centro Educacional Xodó da Tia Joyce, fundada em 25/04/1993, entende a criança como um ser pensante, criativo, dinâmico e formador de conceitos. Fazendo caminho com o aluno, induzindo-o à descoberta e levando-o a uma visão ampla, de totalidade.
          Professor e aluno percorrerão juntos o caminho do desenvolvimento da compreensão do conhecimento, tendo primeiro o compromisso do domínio do conteúdo, mas deixando portas abertas para formas diferentes deste caminho, que poderá ser descoberta pelos alunos. O despertar da curiosidade e o porquê do aprender estarão presentes em todos os momentos.
          A escola com sua função de ser criadora e recriadora de idéias, de diversidade, se coloca num papel de agente de transformações, de inovações que contribui  com o crescimento dos alunos, dos pais, da comunidade em geral.
          A família estará presente neste processo, onde a escola e a família estarão unidas pelo mesmo ideal; a Educação!

 

 

COLÉGIO EXTENSÃO X, C.E. XODÓ DA TIA JOYCE E SISTEMA DE ENSINO ENERGIA:

UMA PARCERIA DE FORÇA POR UM ENSINO DE QUALIDADE!

 

          O Centro Educacional Xodó da Tia Joyce e o Sistema de Ensino Energia vêm solidificando uma parceria que tem um objetivo comum: a qualidde da educação. Essa parceria que se dá pelo uso do material didático e pela assessoria pedagógica implementados pelo Sistema Energia.

          O material didático do Sistema de Ensino Energia é exclusivo e é produzido por autores que são especialistas e também professores de cada uma das áreas do conhecimento. Como ocorre no atual sistema de ensino brasileiro, o material didático passa por contínuo processo de atualização e de renovação em atenção a pressupostos teóricos de base sócio-histórica (também denominada de sociocultural ou histórico crítica), a exemplo dos fundamentos seguidos pelos PCN's, pela Proposta Curricuar de Santa Catarina, a Prova Brasil, o Enem.

          Em atenção aos três segmentos da educação: alunos, família e escola, a Assessoria Pedagógica promove formação continuada aos/às professores/as; orienta a elaboração do material didático para melhor atendimento às características dos alunos e das bases teórico-pedagógicas, considerando as contribuições do corpo docente; desenvolve encontro com pais e alunos para a reflexão de temas voltados ao desenvolvimento estudantil, pessoal e profissional dos alunos.

 


» A ESCOLA OFERECE:

- Amplo espaço físico direcionado para a Educação Infantil;

- Profissionais capacitados na área e que amam o que fazem;

- Biblioteca;

- Cineminha - Data Show

- Sala de Dança;

- Brinquedoteca;

- Sala de leitura e vídeo, dvd e tv cabo;

- Quadra de esportes com gramado sintético;

- Laboratório de informática;

- Diversificado parque infantil e área recreativa;
- Aulas Extras de: dança, capoeira, informática, inglês, educação física e escolinha de futebol;

- Transporte próprio: Para maior comodidade aos pais e segurança a seus alunos, o Centro Educacional Xodó da Tia Joyce oferece "Transporte Escolar" próprio. É o nosso Xodomóvel em ação! Entre em contato com a direção da escola que o Xodómovel buscará seu filho na porta de sua casa. Buscando sempre a qualidade em tudo o que se propõe a fazer, além de motorista qualificado, uma tia ficará junto as crianças. Ele serve também para as saídas das crianças da escola como aniversários, passeios e outros.

 

» PERÍODOS

Matutino: 7h30min às 11h50min  

Vespertino: 12h45min às 18h (+ 15min de tolerância) 

Integral: 7h30min às 18h (+ 15 min de tolerância)

 

» UNIFORME ESCOLAR: Uso obrigatório

Vendas:

- Malharia Kilter: 3522-1330 / 3521-2064

- Malharia Pricis: 3524-4548

- Malharia Uniforme e Cia: 3522-2465

 

 » SEGURO ESCOLAR

          O seguro escolar cobre qualquer acidente dentro de todo o território nacional, 24 horas por dia.

          O aluno após a matrícula já estará segurado, desde que tenha efetuado o pagamento do seguro.

          O valor do seguro escolar será incluído na mensalidade de cada mês.

 

» AGENDA ESCOLAR

          Importante meio de comunicação entre a família e a escola. Será adquirida no 1º dia de aula.

 

» DESCONTO MENSAL

          Lembramos que as mensalidades que forem pagas rigorosamente em dia receberão todo o mês o desconto de R$ 20,00.

          O desconto somente será oferecido para os pagamentos até o 5º dia útil. Os boletos serão entregues até o dia 30 de cada mês que antecede o vencimento (5º dia útil próximo), e poderão ser pagos nas Agências Bancários, Casas Lotéricas ou caixas eletrônicos e após o vencimento somente no Banco Sicoob - Credisulca.

 

» PRÊMIOS RECEBIDOS COMO A MELHOR ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REGIÃO:

          Nossa escola recebe muitos  prêmios como escola destaque do Município, eleita pelo voto popular.:
(2001) FAMA - Pesquisas e Publicidade
(2002) FAMA - Pesquisas e Publicidade

(2003) FAMA - Pesquisas e Publicidade
(2004) PODHIUM - Pesquisas e Publicidade
(2004) FAMA - Pesquisas e Publicidade
(2004) MÉRITO - Pesquisas e Publicidade
(2005) FAMA - Pesquisas e Publicidade
(2005) MÉRITO - Pesquisas e Publicidade
(2005) PREMIER - Pesquisas
(2005) FAMA - Destaque Diretora
(2005) Prêmio IMPRENSA
(2006) Prêmio PODHIUM - Pesquisas e Publicidade
(2006) Prêmio FAMA - Pesquisas e Publicidade
(2006) Prêmio PREMIER - Pesquisas
(2006) Prêmio IMPRENSA
(2006) Prêmio MASTER - Pesquisas
(2006) Prêmio FAMA - Destaque Diretora
(2007) Prêmio Podhiun Pesquisas
(2007) Prêmio Platinun Pesquisas
(2007) Prêmio Fama- Destaque diretora
(2007) Prêmio Fama- Escola Destaque
(2008) Prêmio Podhiun- Pesquisas

(2008) Prêmio Platinun Pesquisas

(2008) Prêmio Fama - Escola Destaque

(2008) Prêmio Fama - Diretora Destaque

(2009) Prêmio Platinun- Escola Destaque

(2009) Prêmio Fama - Destaque em Ensino Infantil 

(2009) Prêmio Fama- Destaque em Ensino Fundamental 

(2009) Prêmio Fama - Destaque Diretora de Escola

(2010) Prêmio Fama - Destaque Diretora de Escola

(2011) Prêmio Fama - Destaque Escola de Ensino Fundamental

(2011) Prêmio Fama - Destaque Diretora de Escola

(2011) Prêmio Premier - Destaque Escola de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio

(2012) Prêmio FAMA - Destaque em Direção de Escola

(2012) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Ensino Fundamental

(2012) Prêmio FAMA - Melhor Escola em Educação Infantil

(2013) Prêmio FAMA - Destaque em Direção de Escola

(2013) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Ensino Fundamental

(2013) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Educação Infantil

(2014) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Educação Infantil

(2014) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Ensino Fundamental

(2014) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Ensino Médio

(2014) Prêmio FAMA - Destaque em Direção de Escola

(2015) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Educação Infantil

(2015) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Ensino Fundamental

(2015) Prêmio FAMA - Melhor Escola de Ensino Médio

(2015) Prêmio FAMA - Destaque em Direção de Escola

 

_________________________________

   

 Carteirinha de Estudante

Xodó / Extensão X 

 

          Mediante a apresentação da carteirinha de estudante Extensão X e Xodó você receberá desconto nos seguintes locais:

 

Academia de Artes Tom & Voz - 9964-5882 - 15% desc.(Aulas de violão, teclado, guitarra, contra-baixo e musicalização infantil) 

Anima Fest - 9978-8836 / 8432-6636 / 9949-5377 - Desconto varia de acordo com os brinquedos contratados (preço diferenciado para dias de semana = 30% desc.)

Auto Escola CFC Conventos: 35220668

Center Casa: 3524-4000 - 13% desc. nos materiais (menos cimento).

Centro Odontológico Mania de Sorrir: 3522-1164 / 9816-5216 - 10% desc. cheque ou cartão - a vista mais 5% desc. (clínica geral, estética, implante, prótese, ortodontia, odontopediatria)

Dentista Luana Búrigo (Cirurgiã Dentista e especialista em Odontologia Estética) –3522-0026 / 9980-9989 - 20 à 30% de desconto

Despachante Placar: 3524-0661 - 15% desc.

Escola de Idiomas Wizard: 3524-0101 - 50% desc.

Fármacia de Manipulação A Essência: 3524-0039 - 10% desc. em produtos manipulados (menos homeopatia florais e revenda)

Instituto Mix de Profissões – 3524-4148 – 15% de desc. + 100 horas de curso de inglês gratuito (ao se matricular em um dos cursos)

Laboratório Bioanálises: 3522-0487 - 25% à 40% desc (dependendo do exame).

Laboratório Lab Vida: 3522-0884 - 30% desc. em exames

Locadora Tely Vídeo: 3524-3354 – 15% desc. (alunos e professores)

Loja Corupelle: 3522-1398 - 15% desc.

Mais Print Cartuchos/Tonners/Carimbos e Cia - 3522-3532 - 20% desc.

Nutricionista Rafaella B. Marcon (CRN10 - 3462P): 9616-3448 - 20% desc. (Atendimento à domicílio)

Ortotrauma - Centro Clínico: 3524-0585 / 8482-2305 / 8482-3094:

• Dra. Lorena Silva da Rosda Rodriguesa (Ginecologia e Obstetrícia - CRM/SC 13523): Consulta particular R$ 300,00, com a carteirinha 250,00

• Dra. Marciane Braga da Silva (Psicóloga - CRP 12/07531): Consulta particular R$ 150,00, com a carteirinha R 100,00

• Dr. Roberto Fernando Kerber (Ortopedia e Traumatologia e Vídeo Artroscopia - CRM/SC 8579 / SBOT 9572 / RQE 16477): Consulta particular R$ 350,00, com a carteirinha R$ 250,00

• Dr. Roberto Hideo Omomo (Cirurgião Geral - CRM 7249): Consulta particular R$ 250,00, com a carteirinha R$ 200,00

• Dr. Riteli (Psiquiatra - CRM 11444): Consulta particular R$ 300,00, com a carteirinha R$ 250,00

• Dra. Manuella (Nutricionista - CRN 2469): Consulta particular R$ 200,00, com a carteirinha R$ 150,00 

• Dra. Simone (Fonoaudiologa - CRF-RS 7231/T-SC): Consulta particular R$ 120,00, com a carteirinha R$ 100,00

Osteofisio - Centro de Reabilitação e Fisioterapia: 3522-0041 - 50% em atendimento de fisioterapia

Oxxy Studio de Personal Trainer - 9696-6714 - 20% desc. no valor da hora aula.

Psicóloga Alcionéia Scremin - 9916-1037 / 3522-1617 - 35% desc.

Refrigeração Zanette: 3524-1396 – 3% desconto na compra de ar condicionado / 5% desconto a vista em manutenção e peças – 4 x sem acréscimo na linha de peças e serviços

Viva bem - Academia, Natatação, Hidroginástica e Centro de Reabilitação - 3522-0707 / 9816-3733 - 10% desc.

 

Atenção! A lista será sempre atualizada pelo site.

 

Obs.: Caso mais algum segmento tenha interesse em entrar para a lista de descontos especiais, favor entrar em contato com a secretaria da escola (3522-1020 / 3522-2010).


______________________________

  

ADAPTAÇÃO DA CRIANÇA NA VOLTA ÀS AULAS

 

 1- Procure compreender o tempo da criança. Cada uma reage a seu modo. Mesmo para os alunos que já eram do colégio, pode levar tempo para voltar a se acostumar com o cumprimento dos horários, das diferentes rotinas e do dia-a-dia em casa e na escola.

2 -Transmita confiança à a criança com relação à ida dela para a escola. A ansiedade, sentimento natural tanto para adultos quanto para crianças, deve ser controlado para não causar insegurança nos pequenos. Quando a família está insegura, deixar o filho na escola pode ser mais difícil para os pais do que para as próprias crianças.

3- Jamais diga à criança que “já volta”, se vai demorar horas para voltar. Explique o que de fato vai acontecer. Por mais sofrido que possa parecer de imediato, a criança acrescerá confiante de que a palavra dos pais é sempre verdadeira.

4- Encare o choro como manifestação natural da criança, que cessa com o envolvimento nas atividades e brincadeiras proporcionadas pelo colégio. Essa é uma resposta social para transmitir aos adultos que ela está com medo das mudanças. Para minimizar, chegue com tempo à escola e passeie com a criança para ela conhecer melhor esse espaço. Chama atenção dela para as coisas que vê: brinquedos, murais, outras crianças, parquinhos...

5- Crianças menores ou que vem à escola pela primeira vez podem fazer adaptação gradativa – os pais vêm buscá-las mais cedo.

6- Se a criança desejar, pode trazer um brinquedo de casa na primeira semana de aula. Nas semanas seguintes, haverá dia específico para isso.

7- A comunicação dos pais como colégio é sempre muito importante. Nossa equipe pedagógica está sempre disponível para atendê-los  e ajuda-los no que for preciso! Anote na agenda qualquer informação que possa ajudar na adaptação da criança. 

 

LIMITES NA INFÂNCIA

 

        Hoje existe certa desorientação dos pais em relação à autoridade que exercem sobre seus filhos.

         De três gerações para cá, verifica-se uma mudança radical e significativa na posição dos pais quanto à colocação dos limites e das regras disciplinares em seus filhos. Se por um lado até as décadas de 40 e 50, a maneira de educar os filhos seguia uma direção vertical, na qual os pais exerciam sua autoridade de cima para baixo sem maiores questionamentos. A geração seguinte, a partir do final dos anos 60, incomodada pelo autoritarismo, ao assumir o lugar dos pais agiu no extremo oposto, optando por mais permissividade

       A falta de limites tem conseqüências negativas para a criança e seu desenvolvimento, afinal a criança que não aceita regras, seja para jogar um jogo, para andar no ônibus, para se comportar na escola, terá dificuldades para conviver com os outros.

           Os limites ajudam a criança a tolerar frustrações e adiar sua satisfação. Ela tem que apreender a esperar sua vez, a compreender que existem outros e que precisa compartilhar. A insuficiência de limites pode conduzir a uma desorientação, a uma falta de noção dos outros, de respeito e até à criminalidade em alguns casos extremos.

         Colocar limites não significa ser autoritário, mas sim ter autoridade. Através da colocação de limites os pais ensinam a criança a respeitar-se e a respeitar os outros. Dizer "não" para uma criança, e ensinar-lhe que ela também pode dizer não quando alguém quiser lhe impor atitudes ou comportamentos. Na medida em que os pais percebem as necessidades da criança, as identificam e as apontam, ela poderá também identificar quais suas próprias necessidades.

            Por exemplo, se uma mãe percebe que seu filho está morrendo de sono e precisa dormir, e ela é firme e lhe disse que é hora de dormir, mesmo que ele resista aos poucos ele poderá identificar seu próprio cansaço e a necessidade do corpo de descansar. Existem muitos adultos que não ouvem as mensagens do próprio corpo, dor, cansaço, fadiga, e passam por cima dos limites do corpo, o que freqüentemente provoca stress e adoecimento. Por outro lado, é comum ouvir as jovens hoje em dia dizerem não saber como dizer "não", a um namorado que deseja ter uma relação sexual.

       Colocar limites não significa privar de liberdade. Quanto mais cedo, os pais colocarem os limites de forma afetiva e com segurança de propósitos menos problemas terão na puberdade e na adolescência, fase na qual as crianças se revoltam contra as imposições desmedidas e transgridem aquilo que é insuportável.

            É importante que os pais dialoguem com os filhos e expliquem quais os propósitos dos limites. Se mesmo assim as crianças não obedecerem, às vezes é necessário colocar sanções, com o intuito das crianças se responsabilizarem pelos atos e pelas suas decisões.

           A tarefa de dizer não, por outro lado, inicia-se desde o nascimento. A importância do "não" e do estabelecimento de limites é fator organizador na formação da personalidade de todo ser humano. Desde ao redor de um ano de idade aproximadamente a criança precisa aprender a ouvir a palavra "não" e o os pais de pronunciá-la.

      As crianças passam pela "fase do negativismo", na qual a criança fala quase compulsivamente a palavra "não", testando sua força diante da autoridade do adulto, pai ou mãe. Com esse comportamento as crianças estão experimentando até onde podem chegar e até onde os pais deixam ir.

      As crianças precisam de regras claras, objetivas e coerentes colocadas com segurança e na hora certa. O estabelecimento de limites não é tarefa fácil, mas muito mais complicado é mantê-los. Ter de enfrentar o choro, resmungos, esperneio e a sensação provocada pela criança de que somos pais "maus" e injustos é difícil de tolerar. É fundamental conhecer quais os recursos mentais da criança em cada faixa etária. Por exemplo, antes dos 4 ou 5 anos é quase impossível esperar que uma criança compreenda e aceite as regras de um jogo. Ela vai querer jogar e ganhar toda vez. Obrigá-la a aceitar regras antes do tempo seria um limite absurdo. Porém, a partir dos 6 anos a criança já terá adquirido a capacidade para aceitar as regras e a vez dos amiguinhos.

           Quando a criança é pequena, ela não sabe o que lhe faz bem e o que é prejudicial para sua saúde; são os pais e professores que aos poucos precisam ir ensinando-lhes estes valores, colocando limites, dizendo "não", para que ela possa apreender por si só e se tornar autônoma, conhecendo seu próprio corpo. Também, para que as crianças entendam a importância dos limites é fundamental, que os pais sejam coerentes, fazendo ou deixando de fazer aquilo que foi proibido para a criança fazer.

       

 Maria Cristina Capobianco é psicóloga e autora do livro “O corpo m off” (Ed. Liberdade). Texto retirado do site: http://www.vilamulher.com.br/familia/filhos/como-colocar-limites-nas-criancas-21395.html

 

REFLETINDO COM OS PAIS

 

Surgem as mordidas...

Como podemos entendê-las?

 

De quando em quando, dentro da dinâmica escolar, o assunto vem à tona: crianças são mordidas e pais ficam preocupados. Na tentativa de ajudar a entender essas manifestações, produzimos este texto sobre características da faixa etária, o contexto onde acontecem as mordidas e qual é a postura da Escola em relação a elas.

 

Até os 2 anos, a criança ainda tem na sua boca uma das grandes fontes de descobertas. Do brinquedo à pedra, passando pela chupeta, tudo ela leva à boca para experimentar e para dela retirar sensações diversas. Chupar, morder, sugar, degustar, emitir sons, inspirar e expirar são ações que dão prazer e também por onde pode relacionar-se com o mundo externo.

Os dentes que estão despontando na gengiva coçam e afligem a criança nesta fase. Outro fato a se considerar é que as crianças até três anos frustram-se com facilidade e têm pouco controle sobre seus impulsos.

No entanto, considerar somente estas características é pouco. É preciso olhar com atenção o contexto em que vive a criança. O próprio fato de ingressar na escola traz consigo vários desafios de adaptação como, por exemplo, sair de um ambiente familiar e seguro para o outro ambiente mais amplo e desconhecido. Tanto o aluno como seus pais estão à procura de uma abertura para mudanças, mas uma certa ansiedade em relação ao novo sempre aparece.

 

Dentro da rotina da escola, em quais momentos aparece a mordida?

Para as crianças desta faixa etária, compartilhar ainda é difícil, já que o outro não é percebido como diferente delas próprias. O outro só existe em função do seu desejo. Na hora da disputa por algum objeto ou pela companhia de alguém, aparece o conflito seguido da sensação de perda. O desconforto deste sentimento é algo que ainda não pode ser compreendido e, na ânsia de livrar-se dessa situação, agem rapidamente usando seu corpo. O corpo é aquilo que lhes é mais conhecido, sobre o que têm algum controle e a boca, o foco de sua expressão. Num instante, acontece uma mordida.

Mais raramente, pode ocorrer de alguma criança ficar muito cansada ou com sono e, também diante deste desconforto, irritar-se e morder.

Há também a mordida como manifestação de contato. Quando começam a despertar para o fato de que existem outras crianças, quando vão se conhecendo melhor e criando vínculos, aparece uma mistura de união e empurrão, beijos e abraços apertados com mordidas e beliscões. Não podemos esquecer que muitos pais dão pequenas mordidas nos filhos como forma de carinho.

A reação do outro é também algo que estão explorando e experimentando. Muitas vezes são surpreendidos por esta reação por não terem a real dimensão da dor provocada. É comum assustarem-se, e chorarem também, junto com o outro.

 

Morder é sinal de agressividade?

Na maioria dos casos não há intencionalidade ao morder, ou seja, a criança não planejou a ação. Como já foi dito, a mordida pode ter saído de um abraço apertado ou como uma forma de aliviar um desconforto do momento. Porém, a mordedura é a primeira pulsão agressiva das crianças e pode estar representando uma zanga, um ciúme ou uma autoafirmação. Como nesta faixa etária ainda não conseguem dosar sua força ou até seus impulsos, às vezes podem assustar os adultos.

 

O processo natural de desenvolvimento

Podemos entender a mordida como expressão da combatividade da criança. Combater para conseguir o que quer, usar uma força interna para conseguir algo por conta própria, faz parte do desenvolvimento infantil. Com essa compreensão, cabe ao adulto mostrar as formas socialmente aceitas como alternativa para esta manifestação. Em especial, através da linguagem verbal.

Incentivar o uso da palavra para negociações ou para expressão de sentimentos nestas ocasiões de conflitos é instrumentalizá-Ia, é ajudá-Ia a despertar para a fase seguinte no tocante ao controle das emoções e do desenvolvimento da fala. "Você ficou brava com fulano porque ele pegou seu brinquedo. Diga para ele 'Estou brincando agora, te empresto depois'. Fulano está chateado porque você o mordeu. Vamos lá pedir desculpas e fazer um carinho nele". Tudo isso faz parte de um aprendizado de cunho social que demanda certo tempo para ser internalizado pelas crianças. Dentro desta fase, quanto menor a ansiedade que gerarmos mais tranquilamente ela passará.

No entanto, precisamos deixar claro para aquelas que mordem que esse seu ato não é positivo, que enquanto adultos não podemos permitir que elas machuquem outras crianças. Quando for necessária uma colocação mais firme, devemos verbalizar que combater pelo que se quer não é errado, e sim a forma como foi feito.

 

 

Como é trabalhado na Escola

Quando começam a surgir mordidas, podemos atuar individualmente e em grupo. Em termos individuais, observamos quais dificuldades as crianças estariam apresentando tanto para se relacionar, para combater, para se expressar ou até para se defender. Na hora de intervir, levamos em conta que tanto aquele que foi mordido como o que mordeu, ambos necessitam de nossa atenção. Seja para um carinho e um consolo, seja para que o ajudemos a enxergar outras maneiras de expressar desconforto e descontentamento. "É melhor você dizer 'eu não gostei', ' estou muito bravo' ou ‘agora é a minha vez'".

Precisamos ressaltar que o referencial do adulto é muito importante. Por causa do vínculo afetivo que o une à criança, o adulto será modelo onde ela buscará as formas socialmente aceitáveis para negociar a posse de um objeto, a sua vez de brincar, como expressar sentimentos e desejos.

Em grupo, podemos verificar qual momento social a criança está vivendo e se está bem integrada. Conversas na hora da roda, atividades coletivas de sensibilização da boca, oportunidade para compreensão da força dos dentes, como morder alimentos resistentes, são alguns dos recursos que podemos utilizar no nosso trabalho.

Também envolvidos nesta questão, temos os pais dos alunos que também precisam de acolhida. Não é fácil receber a notícia de que seu filho foi mordido, muito menos conviver com algumas marcas no seu braço. Algumas vezes chegam a perguntar: "Quem fez isto com meu filho?". Quando isso acontecer, as professoras procurarão colocar a situação de uma forma clara, porém sem nomear, para não expor ninguém desnecessariamente. Do outro lado estão os pais da criança que mordeu. Eles poderão se constranger ou ficar aflitos com o acontecido. Para todos, nossos professores e coordenadores oferecerão apoio para ajudar a entender e a superar esta fase pela qual estão passando as crianças.

Em suma, as mordidas são manifestações que podem acontecer durante uma fase do desenvolvimento infantil. Enquanto adultos, podemos ficar atentos ao contexto, às dificuldades e intervir sempre que necessário, mostrando opções mais adequadas para a criança se expressar ou buscar o que quer.

 
 

COMO AJUDAR SEU FILHO COM AS TAREFAS?


              Saiba porque às vezes é melhor não tirar as dúvidas do seu filho em relação aos deveres da escola.
       A lição de casa é uma etapa fundamental no aprendizado de crianças e adolescentes. Nesse momento, o estudante aprende a resolver os exercícios quando está sozinho. Os pais podem participar, mas não devem resolver a tarefa pelo filho. O que mais ajuda é perguntar, todos os dias, o que a criança aprendeu na escola. Esse exercício de narrativa a faz lembrar, de forma natural, o que aconteceu em sala de aula. Não há nada de errado em colaborar com a criança. Busque a resposta com ela, mas não faça o trabalho por ela. Deixar algum exercício em branco, sem resposta, não é falta grave. Esgotadas as alternativas para resolver a questão, é até bom que o aluno volte à escola com a dúvida, para que o professor possa explicar novamente aquele ponto. Se os pais resolverem as tarefas pelos filhos não tem como o professor saber quais são as dificuldades dos alunos. É importante que o pai relate na agenda do aluno sobre a tarefa, para que o aluno não seja cobrado em sala de aula por não ter feito as tarefas, explicando os motivos. 
          Não se assuste ao perguntar sobre o que o ele aprendeu na escola, e o mesmo não responder. Nem todos são tão comunicativos e temos que levar em consideração a personalidade de cada um. Mas continue insistindo, sem muita rigidez na cobrança. Afinal, “TUDO O QUE A GENTE GOSTA MERECE MUITO CARINHO”.



FAMÍLIA E ESCOLA: UMA RELAÇÃO DE AJUDA


            Como nossos filhos podem se tornar bons alunos?
          A relação entre a família e a escola nunca foi uma coisa simples. De um lado os pais achando que a escola poderia assumir mais responsabilidades suprindo lacunas que eles hoje não conseguem contemplar e, do outro a escola que busca negociar com essas lacunas tentando aproximar os pais de seus muros, engajando-os e tentando compromete-los com seus filhos. Sim, a escola precisa lutar para que os pais se comprometam com a aprendizagem de seus filhos. Cuidar da vida escolar de uma criança ou jovem não é apenas deixa-lo na escola na hora certa ou verificar de vez em quando suas lições ou suas notas, infelizmente é muito mais. Com tantas atividades os pais nunca estiveram tão atarefados, exaustos e estressados e os filhos cada vez mais dispersos e desinteressados. Um aluno que consegue um aproveitamento satisfatório, na média exigida pela escola, é fruto de um trabalho intenso e conjunto de pais e educadores. A escola tem o dever de oferecer aos seus alunos, professores competentes e interessados, além de honrar o conteúdo obrigatório para cada série e representar os valores familiares. Os pais devem zelar pela freqüência escolar de seus filhos, pela realização das tarefas e estudos em um local adequado, respeito aos professores e a escola, sua metodologia e didática.
          Parece fácil, mais quando os filhos apresentam dificuldades de aprendizagem ou de disciplina alguns pais tendem a criticar a escola e seus professores antes de avaliarem as circunstâncias e seus desdobramentos, sem perceber que estão ensinando os filhos a desculparem suas falhas, ignorando seus erros. Um aproveitamento fraco em uma matéria ou mais pode ser resultado de muitos fatores, dentre eles dificuldade de aprendizagem daquele conteúdo, desmotivação, dificuldade de relacionamento, desorganização ou mesmo baixa de auto-estima, somado ao excesso de expectativas dos pais, ciúme, medo, timidez, problemas familiares, dentre outros.
          Cada criança ou jovem tem o seu ritmo, suas dificuldades, sua forma de estudar, de entender e de se relacionar tanto com o conhecimento, como com as tarefas. É importante aprender a conhecer os seus filhos e negociar com eles a melhor forma de conduzir os estudos.
Muitos outros fatores podem interferir na aprendizagem do aluno, porém, para que o aluno possa usufruir bem do que lhe é ensinado existem condições físicas, emocionais e estruturais básicas que devem ser contempladas: Incentivo dos pais ao estudo, escola comprometida com o conteúdo e o aluno, participação dos pais na vida escolar (tarefas, horários, estudo, professores), boa saúde, alimentação saudável e bom relacionamento entre os pais.

Recadinhos

  • Equipe maravilhosa! Ensino ótimo! INCLUSÃO nota mil! Autista aqui, interage sim.  - Lisdaisy
  • Parabéns tias e crianças pelos belos projetos realizados. Amei todos! - Direção
  • Olá equipe Xodó! Sou professora e adoro entrar no site da escola. Pego muitas coisas para os meus alunos. Todas as atividades são maravilhosas!!! - Laureana Luis

Centro Educacional Xodó da Tia Joyce

R: Virgulino de Queiroz, 357, Centro - Araranguá/SC
Telefone: (48) 3524-1619 ou (48) 3522-1225